MULHER E A ATIVIDADE FISICA

Prof. Luciano dos Santos Gomes (Mobi)

CREF: 016755-G/RJ

 

Os benefícios da atividade física têm sido comprovados em ambos os sexos, entretanto, na mulher esta abordagem adquire algumas características próprias que incluem desde diferenças do perfil hormonal, passando pela incidência de determinadas patologias, até as respostas e adaptações ao exercício.

O exercício físico regular, realizado de maneira correta e associado à ingestão alimentar adequada, não interfere na função hormonal, se constituindo num importante instrumento para ganho de massa óssea, capaz de fazer, a partir da adolescência, a prevenção primária da osteoporose pós-menopáusica. As diferentes fases do ciclo menstrual parecem não interferir o desempenho durante a prática das atividades físicas. Alguns estudos sugerem ainda que a prática de exercícios causam alívio aos sintomas pré-menstruais em mulheres que se exercitam regularmente.

A atividade física na gestação é recomendada na total ausência de qualquer anormalidade, mediante a avaliação médica especializada. Durante uma gestação normal, quem já praticava exercícios pode continuar a fazê-lo, adequando a prescrição à gestação. Exercícios de flexibilidade são particularmente úteis na gestação para equilibrar a musculatura dorso lombar, abdominal e de assoalho pélvico. Exercícios respiratórios também são importantes por favorecerem a conscientização corporal e promovem trocas gasosas, estes são úteis ainda para o relaxamento o para o auxilio no trabalho de parto.

Durante o climatério, que é caracterizado pela diminuição fisiológica da função ovariana, ocorrem modificações em diversos tecidos-alvos, devido à carência hormonal que pode se estabelecer nesta fase. Os ossos têm seu equilíbrio alterado, podendo assim, apresentar graus variados de diminuição de massa óssea. O exercício físico preserva a massa óssea, tanto por ação direta do impacto sobre o esqueleto, como por ação indireta, pelo aumento da força muscular. Há a tendência da massa óssea ser proporcional a força muscular, pois a maior tração, exercida pelos músculos mais fortes, serve como estimulo para a mineralização dos ossos.

Referências:

- Leitão, M.B.; Lazzoli, et all. Posicionamento Oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte: Atividade Física e Saúde na Mulher, Rev. Bras. Med. Esporte , vol. 6, n? 6, p. 215-220, nov/dez, 2000.

- Pardini, D.P. Alterações Hormonais da Mulher Atleta, Arq. Bras. Endocrinol. Metab. , vol. 45, n? 4, p.343-351, ago, 2001.